CUIDE-SE!

Média móvel de mortes por Covid-19 segue em alta e maioria é de não vacinados

Média móvel de mortes por Covid-19 segue em alta e maioria é de não vacinados
terça-feira, 15/02/2022

A média móvel de mortes pela Covid-19, provocadas pela alta transmissibilidade da variante Ômicron aliada à falta de imunização, segue acima de 800 há sete dias. A maior parte das vítimas é formada por idosos, vulneráveis e pessoas que não se vacinaram contra a doença, segundo estudo da SES-DF (Secretaria de Saúde do Distrito Federal).

O estudo aponta que o risco de uma pessoa morrer em consequência de complicações causadas pela Covid-19 é 33 vezes maior entre as não-vacinadas ou com o ciclo vacinal incompleto em comparação com aqueles que estão em dia com a imunização.

A análise foi feita com dados consolidados até o dia 7 de fevereiro, e mostra ainda que dos 93 óbitos entre pessoas com 60 anos ou mais, 79 (85%) correspondem a não-vacinados e apenas 14 (15%) tinham ciclo de vacinação completa.

Os cálculos mostram que a taxa de mortalidade entre vacinados é de 4,9 óbitos para cada 100 mil habitantes, enquanto a taxa de mortalidade entre os não-vacinados chega a 164,20 óbitos para cada 100 mil habitantes.

O Ministério da Saúde e o CNS (Conselho Nacional de Saúde) reconhecem que o aumento de casos de Covid-19 é maior entre as pessoas que não foram vacinados. A Ômicron tem aumentado as internações em leitos de enfermaria e UTIs (Unidades de Terapia Intensitva) desde o início deste ano em praticamente todo o País.

Vacinação no Brasil 

A taxa de pessoas vacinadas com as duas doses ou com a dose única da Janssen passou para 71,24%.  Já com uma dose chegou na segunda-feira (14/02) a 78,87% da população total.

Já o total de crianças de 5 a 11 anos que tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19 é 5,86 milhões (28,61%) em todo o País.

Mortes por Covid-19 no País

Nas últimas 24 horas encerradas na segunda-feira (14), o Brasil registrou 464 mortes em consequência de complicações causadas pela Covid-19, totalizando 638.913 óbitos desde o início da pandemia, em março de 2020. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias foi para 885, uma alta de 46% em relação há 7 dias atrás.

Média alta de mortes em SP

Em São Paulo, um terço dos óbitos pelo coronavírus é de pessoas que não completaram a imunização. O restante é de pacientes com alguma comorbidade grave, cujo quadro é agravado pela doença.

De acordo com o consórcio de imprensa, o estado de São Paulo registrou 28 mortes pelo coronavírus na segunda-feira. Outros quatro estados superaram o número registrado por São Paulo: Minas Gerais (46), Bahia (45), Paraná (33) e Rondônia (72). O Estado de Roraima, por outro lado, não registrou mortes pela covid-19 na segunda-feira.

Fonte: CUT Nacional

COMPARTILHE