#SANTANDERRESPEITEOBRASIL

Sindicato de Londrina mobiliza três agências no Dia de Luta dos Funcionários do Santander

O diretor do Sindicato de Londrina, Leonardo Rentz, afirma que a falta de pessoal está gerando aumento nos casos de adoecimentos no Santander O diretor do Sindicato de Londrina, Leonardo Rentz, afirma que a falta de pessoal está gerando aumento nos casos de adoecimentos no Santander
terça-feira, 30/11/2021

Os diretores Dirceu Quinelato e Valdemir Prado (Negão) no protesto na agência Centro do Santander

A mobilização do Sindicato de Londrina também atinge a agência Av. Tiradentes, com a presença da diretoria Débora Melo e o diretor Josué Rodrigues

Dirigentes do Sindicato de Londrina estão realizando atividades nesta terça-feira (30/11) em três agências do Santander para marcar o Dia Nacional de Luta dos Funcionários contra as terceirizações, precarização no atendimento e por mais contratações.

Com faixas na fachada das agências Centro, Alto Higienópolis e Av. Tiradentes, o Sindicato orienta clientes e usuários a exigirem ser atendidos presencialmente e caso isso seja negado pelo banco a exigir seus direitos, enquanto consumidores de serviços bancários, junto ao Procon e ao Banco Central.

De acordo com Leonardo Rentz, diretor do Sindicato de Londrina e coordenador da COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Santander perante a Fetec-CUT/PR (Federação dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito do Paraná), o banco reduziu drasticamente o número de funcionários nos últimos tempos e agora está contratando trabalhadores terceirizados para realizar atividades bancárias.

“A falta de pessoal nas agências é gritante, tanto é que aumentou muito o número de adoecimentos neste ano devido à enorme sobrecarga de serviços, constantes cobranças pelo cumprimento de metas e péssimas condições de trabalho para bancários e bancárias”, denuncia.

Veja no vídeo a explicação de Leonarto Rentz sobre os protestos do Santander nesta terça-feira (30). 

Leonardo afirma que o objetivo dessa mobilização nacional é pressionar o banco a abrir negociações com os Sindicatos, suspender as terceirizações e preencher e recompor o quadro de funcionários.

Por Armando Duarte Jr.              

COMPARTILHE