PARANÁ

Servidores públicos ocupam galerias da Alep em defesa da aposentadoria

Grevistas ocuparam as galerias da Alep e estão acampados em frente ao prédio para defender a aposentadoria digna - Foto: APP-Sindicato Grevistas ocuparam as galerias da Alep e estão acampados em frente ao prédio para defender a aposentadoria digna - Foto: APP-Sindicato
quarta-feira, 04/12/2019

Os servidores e servidoras públicos do Paraná deflagraram greve na segunda-feira (2/12) para impedir a aprovação na Alep (Assembleia Legislativa do Estado) do projeto de reforma da Previdência do serviço público estadual apresentada pelo governo Ratinho Júnior.

Na terça-feira (3), a matéria seria votada pelos deputados estaduais, mas a sessão foi encerrada pelo presidente da casa, Ademar Traiano (PSDB), depois que os grevistas ocuparam as galerias da Alep para pressionar a rejeição dessa reforma.

Agindo de forma arbitrária, Traiano resolveu realizar a sessão desta quarta-feira (4) nas dependências da Ópera de Arame, longe dos servidores e servidoras, quando pretende aprovar o projeto do governo Ratinho Jr. em dois turnos.

Além da ocupação das galerias da Alep, os grevistas estão acampados em frente do prédio, onde permanecerão em Assembleia permanente à espera de abertura de negociações com o governo do Estado.

“O Paraná não tem necessidade de aprovar esse projeto neste momento e sem conversar com a categoria. Vários estados também estão discutindo esse tema, mas em diálogo com seus servidores. Já aqui, Ratinho Junior, que se elegeu prometendo diálogo, quer alterar nossa aposentadoria com um tratoraço, sem nenhum respeito com o servidor público”, disse a secretária Geral da APP-Sindicato, Vanda do Pilar Santana.

Mobilização cresce

Servidores e servidoras do Paraná foram para Curitiba em cerca de 50 ônibus e, segundo levantamento da APP, cerca de 80% das escolas estaduais aderiram ao movimento. Nesta quarta-feira (4) está confirmada a chegada de novas caravanas. Pela manhã houve concentração em frente ao prédio da Alep à tarde será realizada Assembleia para avaliar o movimento.

A proposta do governador Ratinho Junior prevê o aumento de 11% para 14% a alíquota de contribuição dos servidores para a Previdência e fixar a idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres se aposentarem.

Os educadores e educadoras paranaenses também exigem a manutenção do Ensino Médio noturno e da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em recente comunicado, a Secretaria de Educação anunciou o fechamento de turmas dessas modalidades em todo o estado.

Fonte: APP-Sindicato

COMPARTILHE