#20NFORABOLSONARORACISTA

Celebração do Dia da Consciência Negra em Londrina denuncia racismo estrutural

Celebração do Dia da Consciência Negra em Londrina denuncia racismo estrutural
sábado, 20/11/2021

Laurito Lira Filho, diretor do Sindicato de Londrina, criticou a falta de políticas públicas para a população negra

Performance durante o ato em Londrina denunciou o genocídio de negros no Brasil

Apresentação de capoeira valorizou a cultura afrobrasileira no Dia da Consciência Negra

Manifestantes saíram em caminhada pelo Calçadão divulgando a luta contra o racismo no País

Cerca de 450 pessoas participaram na manhã deste sábado (20/11), no Calçadão de Londrina, do ato #20NForaBolsonaroRacista, que teve como destaque o Dia da Consciência Negra.

A manifestação foi organizada pelo Coletivo de Sindicatos, o Comitê Unificado, que reúne o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra), entidades estudantis, movimentos e organizações sociais.

Lideranças presentes lembraram do assassinato de Zumbi dos Palmares, de casos recentes, como o de Marielle Franco, entre outros, e do sofrimento da população negra com os retrocessos e falta de políticas públicas para acabar com o racismo, o preconceito e a falta de igualdade de oportunidades. Também teve performance sobre o genocídio de negros no Brasil e apresentação de capoeira.

Depois, os manifestantes saíram em caminhada bradando frases contra o presidente Bolsonaro e cantando até a Concha Acústica, onde foi encerrado o ato.

Segundo o secretário de Formação do Sindicato de Londrina e membro da organização do #20ForaBolsonaroRacista, Laurito Porto de Lira Filho, os protestos do Dia da Consciência Negra mostram que a população negra existe, tem a sua cultura e contribuiu muito para a construção da sociedade brasileira, mas mesmo assim os seus problemas são jogados para debaixo do tapete pelas autoridades. “O preconceito racial e contra as religiões de origem africana persistem, bem como a pobreza nas periferias das cidades e a falta de empregos, que afeta muito mais o negro e a negra. Infelizmente, o presidente da República, governadores e prefeitos adotam como solução de todos esses problemas a invisibilidade da população negra, fingindo que ela não existe”, critica.

Por Armando Duarte Jr.  

COMPARTILHE