LONDRINA

Assembleia Geral aprova propostas da Fenaban, BB e da Caixa

A Assembleia do Sindicato de Londrina teve a participação de cerca de 170 bancários e bancárias A Assembleia do Sindicato de Londrina teve a participação de cerca de 170 bancários e bancárias
quarta-feira, 29/08/2018

A Assembleia dos bancários e bancárias que atuam na base do Sindicato de Londrina, realizada na noite desta quarta-feira (29/08), aprovou a proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), que prevê reajuste de 5% nos salários, demais verbas e na PLR (Participação nos Lucros e Resultados), parcelamento da antecipação de férias e manutenção de todos os direitos previstos na atual CCT (Convenção Coletiva de Trabalho).

O presidente do Sindicato de Londrina, Felipe Pacheco, afirma que a maioria dos 170 participantes da Assembleia seguiu a orientação do Comando Nacional e aceitou os termos previstos na proposta dos bancos, garantindo aumento real de 1,18% e a não interferência da nova legislação trabalhista nas conquistas da categoria, entre outros pontos.

“Em 10 rodadas de negociação conseguimos assegurar que nenhum direito fosse retirado e fechamos um acordo com aumento real nos salários e nas cláusulas econômicas sem ter que deflagrar greve. Na conjuntura atual, na qual o governo e as empresas tentam impor retrocessos, conseguimos sair ilesos dessa política que penaliza a Classe Trabalhadora”, avalia.

BB e Caixa

Na Assembleia do Sindicato de Londrina também foram aprovadas as propostas específicas para os Acordos Aditivos à CCT dos funcionários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

Segundo Felipe, assim como ocorreu nas negociações com a Fenaban, as diretorias destes dois bancos públicos federais voltaram atrás na intenção de retirada de direitos, como havia sido manifestado nas primeiras discussões com a Comissão de Empresa e a CEE (Comissão Executiva dos Empregados).

“Tanto na Caixa, quanto no BB, conseguimos manter todos os direitos específicos, além de manter as negociações acerca de temas a serem aprofundados nas mesas permanentes”, completa.

Contribuição negocial mantém organização da categoria

Na Assembleia de Londrina, bancários e bancárias presentes também aprovaram a contribuição negocial, que está prevista na CCT. O percentual de desconto é de 1,5% sobre o salário de setembro/2018, com teto de R$ 250,00, e sobre a antecipação da PLR e da segunda parcela, a ser paga em março, com teto de R$ 210,00.

Mas como em Londrina a diretoria vinha praticando há mais de 20 anos o índice de 0% nesta taxa, o compromisso será mantido para os filiados, conforme explicado na Assembleia, e serão devolvidos os 70% correspondentes à parte que cabe ao Sindicato.

Cabe ressaltar que a contribuição negocial é uma alternativa para financiamento da luta sindical para contornar a reforma trabalhista imposta pelo governo Michel Temer (MDB) na tentativa de enfraquecer a organização da Classe Trabalhadora em torno dos Sindicatos e, assim, reduzir ainda mais direitos.

“Nós defendemos contribuições aprovadas democraticamente pela categoria em Assembleia, como ocorreu agora. Por isso, continuaremos a abrir mão da cobrança da contribuição sindical daqueles que investem na organização da categoria, como vinha sendo feito nos últimos 21 anos em relação ao imposto sindical”, explica Felipe Pacheco.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE