CÂMARA DOS DEPUTADOS

Audiência discute a política de privatização e os impactos nos serviços da Caixa

Audiência discute a política de privatização e os impactos nos serviços da Caixa
quinta-feira, 13/05/2021

A política de privatização e os impactos que ela pode causar na prestação dos serviços e benefícios sociais estará em pauta nesta quinta-feira (13/05), a partir das 10h, em audiência pública da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados.

Para o presidente da Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal), Sergio Takemoto, que vai participar da audiência proposta pelo deputado Alexandre Padilha (PT/SP), se a privatização da Caixa acontecer, os serviços públicos e o pagamento de benefícios sociais estarão comprometidos.

Takemoto lembrou que a estratégia do Governo Federal e da presidência da Caixa é dividir o banco em várias partes, uma delas é o chamado banco digital, que nada mais é do que um outro banco, com outro CNPJ, que será privatizado em seguida.

“O mais grave é que todos os benefícios sociais do banco serão repassados para esta nova instituição. Qual será o futuro dos programas e benefícios sociais se estiverem nas mãos do mercado privado, que só visa o lucro? As políticas públicas que atendem a população mais carente do país serão garantidas?”, questionou.

A audiência também vai discutir a situação dos aprovados no concurso de 2014. “Conseguimos uma grande vitória na Justiça, que manteve todas as contratações de 2016 por meio de ações coletivas ajuizadas pelo Ministério Público do Trabalho. Mas a nossa luta por mais contratações continua. A Caixa tem uma defasagem muito grande de empregados e precisamos de mais convocações para melhorar nossas condições de trabalho e para oferecer atendimento mais digno à população”, disse a coordenadora da CEE (Comissão Executiva de Empregados) da Caixa, Fabiana Uehara Proscholdt, que também é secretária de Cultura da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro, e também participará da audiência.

É possível acompanhar a audiência pelo portal e-Democracia, inclusive enviando perguntas, críticas e sugestões aos convidados.

Fonte: Contraf-CUT

COMPARTILHE