INVASÃO DE PRIVACIDADE

COE Bradesco cobra esclarecimentos sobre denúncias de funcionários

COE Bradesco cobra esclarecimentos sobre denúncias de funcionários
quarta-feira, 14/07/2021

A COE (Comissão de Organização dos Empregados) do Bradesco se reuniu com a direção do banco na manhã desta quarta-feira (14/07), para cobrar esclarecimentos sobre denúncias que os Sindicatos de Bancários de todo o Brasil têm recebido de investigações em movimentações financeiras dos funcionários.

O Bradesco explicou que são duas situações diferentes. As normas do banco proíbem que o funcionário pague um boleto próprio, com a conta de um terceiro, mesmo que seja parente, sem o documento de autorização assinado pelo terceiro para o funcionário movimentar sua conta.

A segunda situação é sobre o pedido de esclarecimento quando um boleto no nome do funcionário é pago por um terceiro. Neste caso, o banco admitiu que a comunicação dos gestores na hora de pedir o esclarecimento pode estar sendo feita de forma equivocada. Por isso, o Bradesco assumiu o compromisso de reorientar os gestores a respeito da explicação.

“Nós precisamos ficar de olho neste tipo de monitoramento do CPF dos funcionários. Isso não pode ultrapassar os limites. A própria LGPD protege os dados de todo brasileiro. Temos que tomar cuidado com qualquer tipo de invasão de privacidade”, afirmou Magaly Fagundes, coordenadora da COE Bradesco.

Na reunião, também foi abordado o Código de Ética para os funcionários operarem na bolsa. O banco reforçou que o Day Trade é proibido e pode ser punido com demissão. “Apesar de termos recebido denúncias de bancários que foram pressionados por seus gestores de concentrar seus investimentos na Ágora, o banco negou essa orientação. Caso alguém passe por esta situação, procure o seu Sindicato”, orientou Erica de Oliveira, integrante da COE Bradesco.

Fonte: Contraf-CUT

COMPARTILHE