RANKING DE RECLAMAÇÕES

Banco do Brasil lidera lista do BC no último trimestre de 2018

O BB obteve índice de 24,98 no ranking, com 1.585 queixas consideradas procedentes O BB obteve índice de 24,98 no ranking, com 1.585 queixas consideradas procedentes
quarta-feira, 16/01/2019

O Banco do Brasil ficou em primeiro lugar no ranking de reclamações contra instituições financeiras dirigidas ao BC (Banco Central) no quarto trimestre de 2018. O BB conseguiu essa posição porque 1.585 queixas encaminhadas ao BC foram consideradas procedentes, atingindo índice 24,98 reclamações para cada 1 milhão de clientes.

A maioria das demandas está relacionada à "oferta ou prestação de informação a respeito de produtos e serviços de forma inadequada", com 304 registros, seguida por "prestação de serviço de forma irregular em conta-salário", com 144 ocorrências.

A lista se refere aos bancos que têm mais de quatro milhões de clientes em sua base. No ranking do quarto semestre, o Santander apareceu em segundo lugar, com índice 24,04 e um total de 1.033 reclamações registradas.

O Bradesco ficou em terceiro, com índice 23,52 e um total de 2.262 reclamações, considerando um total de 96,1 milhões de clientes, seguido do Banrisul, que obteve índice de 19,30 com 91 reclamações. Já a Caixa Econômica Federal, com base de 90,9 milhões de clientes, registrou índice de 18,92, com 1.721 reclamações registradas junto ao Banco Central.

Metodologia do ranking

O ranking de reclamações é formado a partir das demandas do público registradas nos canais de atendimento do Banco Central, como internet, aplicativo, correspondência, presencialmente ou por telefone. São consideradas como reclamações procedentes as ocorrências registradas no período de referência em que se verificou indício de descumprimento por parte da instituição financeira.

Participam do ranking, além dos bancos comerciais, os bancos múltiplos, os cooperativos, bancos de investimento, filiais de bancos comerciais estrangeiros, caixas econômicas, sociedades de crédito, financiamento e investimento e administradoras de consórcio. As listas se dividem entre aquelas instituições financeiras com mais ou menos de 4 milhões de clientes.

Para fazer o ranking, as reclamações procedentes são divididas pelo número de clientes da instituição financeira que originou a demanda e multiplicadas por 1 milhão. Assim, é gerado um índice, que representa o número de reclamações da instituição financeira para cada grupo de 1 milhão de clientes. O resultado é, portanto, avaliado pela quantidade de clientes de cada instituição financeira, combinada como número de reclamações.

Fonte: Contraf-CUT

COMPARTILHE