BANCO DO BRASIL

Protesto em Londrina contra a reestruturação retarda atendimento de agências

Funcionários e funcionárias do prédio do Banco do Brasil participaram da atividade contra os cortes nas gratificações - Fotos: Armando Duarte Jr. Funcionários e funcionárias do prédio do Banco do Brasil participaram da atividade contra os cortes nas gratificações - Fotos: Armando Duarte Jr.
quarta-feira, 12/02/2020

Laurito Lira Filho, diretor do Sindicato de Londrina, destacou os motivos do protesto a funcionários da agência BB Digital

Dirigentes do Sindicato fizeram reuniões em diversos andares do prédio do BB no Calçadão

A secretária-geral do Sindicato, Danielle Ruza, destacou a importância da mobilização dos funcionários para preservar seus direitos 


Concentração dos funcionários na entrada do banco demonstrou a insatisfação com mudanças nas regras das gratificações

Clientes e usuários foram informados sobre os motivos do retardamento do expediente

Funcionários e funcionárias que atuam nas agências e departamentos do Banco do Brasil no Edifício Satélite, em Londrina, atenderam ao convite do Sindicato e participaram do protesto desta quarta-feira (12/02) contra a reestruturação que reduz gratificações de função.

A atividade fez parte do Dia Nacional de Luta dos Funcionários do BB, convocada pela Comissão de Empresa com o objetivo de pressionar a diretoria do banco a negociar as medidas que trazem inúmeros prejuízos ao funcionalismo.

Foram feitas reuniões no prédio e distribuído o boletim O Espelho produzido pela Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), com informações contestando o discurso do banco de que a reestruturação vai gerar ganhos para os funcionários.

Laurito Lira Filho, diretor do Sindicato de Londrina, afirma que o grande número de bancários e bancárias do BB que participaram da atividade demonstra o grau da insatisfação com as mudanças nas regras da gratificação.

“Não podemos ficar de braços cruzados vendo direitos sendo rebaixados! Para impedir que isso seja levado em frente, temos que construir uma forte mobilização em todo o País, porque os Sindicatos sozinhos não conseguirão reverter essa política de desmonte que vem desfigurando o papel do Banco do Brasil e que agora se vira contra o seu funcionalismo”, ressalta Laurito.

Por Armando Duarte Jr.

COMPARTILHE